04 dez, 2017

Mercado vê corte na Selic para 7% esta semana e juro iria a menor patamar histórico

Juros futuros operam em baixa de olho em reforma da Previdência

SÃO PAULO - O mercado manteve a expectativa de corte de 0,5 ponto percentual na taxa básica de juros nesta semana e continua vendo nova redução de 0,25 ponto em fevereiro, melhorando ainda a previsão de crescimento da economia em 2017, de acordo com a pesquisa Focus do Banco Central divulgada nesta segunda-feira.


O Comitê de Política Monetária (Copom) do BC anuncia na quarta-feira sua decisão de política monetária. Com o corte esperado pelos economistas no levantamento, a Selic terminaria o ano a 7%, o que será seu menor patamar histórico. Para 2018, permanece também a expectativa de corte de 0,25 ponto na taxa em fevereiro, com elevação na mesma proporção em dezembro, levando a Selic a terminar o próximo ano também a 7%.


Enquanto isso, os juros futuros operam em baixa nesta segunda-feira, estendendo o sinal da última sessão. O pano de fundo para movimentação dos ativos inclui a articulação do governo para a reforma da Previdência.


Pesquisa da Reuters mostrou que 49 de 50 economistas esperam que o Copom corte a Selic em 0,50 ponto agora, com a maioria esperando nova redução na reunião de fevereiro.


Entre aqueles que preveem mais afrouxamento monetário no início de 2018, 21 veem redução de 0,25 ponto percentual, a 6,75%, e nove declínio de 0,50 ponto percentual.


O Top-5, grupo dos que mais acertam as previsões, também vê corte de 0,50 ponto agora, mas calcula a taxa básica de juros no fim do ano que vem em 6,5%.


Em relação à a economia, a conta para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2017 foi elevada a 0,89%, de 0,73 por cento, após os investimentos mostraram no terceiro trimestre o melhor desempenho em quatro anos.


PUBLICIDADE


O PIB do Brasil subiu 0,1 por cento entre julho e setembro passado sobre o segundo trimestre, terceiro período seguido de expansão, com a Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) crescendo 1,6 por cento no período.


Para a inflação, a pesquisa semanal com uma centena de economistas passou a calcular a alta do IPCA em 2017 em 3,03 por cento, de 3,06 por cento no levantamento anterior.


Para 2018, permanece a expectativa de inflação de 4,02 por cento. A meta de inflação para ambos os anos é de 4,5 por cento com margem de tolerância de 1,5 ponto percentual.


Fonte: O Globo